Segurança na rede

Com a maior disponibilidade de acesso à internet, equipamentos como computadores, notebooks, smartphones e tablets ficam conectados à rede por longos períodos de tempo. Embora seja um caminho para a informação, conhecimento, diversão, contatos e uma grande número de serviços digitais que facilitam a vida, muitas vezes as pessoas se esquecem que a internet também é um ambiente favorável para aqueles que desejam roubar dados pessoais e aplicar golpes.

Não é fácil atacar e fraudar dados de sistemas online comerciais e das instituições financeiras. Por esse motivo, os golpistas são motivados a explorar as fragilidades dos usuários por meio de diferentes táticas.

Dessa forma, é importante ser cauteloso e adotar algumas medidas simples para evitar qualquer problema.

20 recomendações de segurança para usuários de tecnologia

  1. Grande parte das tentativas de golpe na internet ocorre para tentar furtar dados pessoais para abrir empresas ou contas bancárias em seu nome. Isso ocorre com a divulgação de dados muito específicos sobre sua vida e rotina em redes sociais. Seus dados também podem ser furtados por meio de códigos maliciosos enviados por e-mail, preenchimento de formulários em sites falsos e ligações telefônicas.
  2. Desconfie de e-mails que ofereçam vantagens absurdas: crédito fácil de instituições desconhecidas, prêmios de concursos, loterias internacionais, ofertas de emprego com salários altíssimos, etc.
  3. E-mails se passando por institucionais contendo muitos erros gramaticais é um forte indício de golpe.
  4. Cuidado com o phishing. Esse golpe ocorre basicamente com mensagens que fazem com que o usuário forneça os seus dados em formulários falsos ou por meio de códigos maliciosos que se instalam no computador. Quando receber mensagens de instituições de governo, Receita Federal, Justiça Eleitoral, personalidades, empresas de telefonia, órgãos de justiça (intimações), bancos e empresas de proteção ao crédito (como SPC ou SERASA), antes de clicar em qualquer link, verifique os sites oficiais e prefira entrar em contato pelos canais oficiais para evitar qualquer tipo de problema.
  5. Tenha cuidado com ofertas irrecusáveis em sites de comércio eletrônico. Um site ou perfil fraudulento tem o objetivo de receber o pagamento das vítimas sem entregar o produto ou serviço. Desconfie de preços muito atraentes e sempre pesquise a reputação da empresa com base na avaliação de outros usuários (se a compra for em sites como o Mercado Livre e OLX ) e em sites como o Reclame Aqui e Buscapé . No site do Procon-SP, você também pode consultar uma lista de sites que devem ser evitados .
  6. Antes de efetivar a compra em um site de comércio eletrônico, consulte a situação do seu cadastro na Receita Federal por meio do CNPJ. O artigo 2º Decreto Federal nº 7.962/2013 exige que o site de comércio eletrônico deve apresentar, em local de destaque e fácil visualização (em geral, no final da página), as informações de CNPJ e o endereço físico da sede da empresa.
  7. Proteja o seu computador. Utilize um programa de firewall e outro de antivírus. Também faça backup periodicamente dos seus arquivos mais importantes e não deixe de instalar as atualizações recomendadas pela desenvolvedora do sistema operacional do seu computador.
  8. Não esqueça de proteger os seus tablets e smartphones. Da mesma forma que os computadores, eles correm risco de serem invadidos por malware.
  9. Utilize os recursos do seu navegador da internet (browser) em seu favor. Habilite os mecanismos de bloqueio de janelas popup, filtro antiphishing e plugins que desabilitam propagandas (como o AdBlock).
  10. Ao criar uma conta na internet em redes sociais ou sites de comércio eletrônico, crie senhas difíceis de descobrir. Crie um padrão, misturando letras, números e caracteres especiais que sejam óbvias para você, mas não para as outras pessoas. Evite sequências que são bastante utilizadas, tais como "12345", "qwert", data do aniversário, nome do filho, nome do cachorro, etc.
  11. Altere as suas senhas com certa frequência. Faça isso, principalmente, nas contas mais acessadas.
  12. Jamais faça login nas suas redes sociais em computadores públicos com a opção "salve sua senha" marcada. Essa conduta evita qualquer acesso indesejado nas suas contas particulares e vale para qualquer site que exija acesso por senha.
  13. Não ceda ao impulso: evite realizar transações bancárias ou compras por meio de computadores de terceiros ou redes WiFi públicas.
  14. Quando dados sensíveis são transmitidos em transações como internet banking, fechamento de compra online, autenticação de dados e pagamento com cartão de crédito, o navegador utiliza uma conexão segura. Esse tipo de conexão é indicado pela presença do símbolo de um "cadeado fechado" e o endereço do site é "https://".
  15. Preserve a sua privacidade. Disponibilize acesse ao seu perfil e atualizações em redes sociais apenas para amigos, familiares e grupos específicos. Seja muito criterioso ao aceitar um novo contato.
  16. Crie hábitos que evitem problemas com a sua vida profissional. Verifique se a sua empresa possui um código de conduta relativo ao uso da internet e redes sociais. Nunca divulgue informações sobre os negócios da empresa ou conteúdos que possam gerar situações desastrosas para a sua imagem.
  17. Quando essa opção estiver disponível, habilite as notificações de login (que avisa o acesso à conta por e-mail ou SMS) e faça logout quando terminar de usar a sua conta - faça sempre isso quando usar um dispositivo de acesso à internet público ou computador de terceiros.
  18. Oriente seus filhos a usarem as redes sociais com consciência, respeitando sempre os limites de idades estipulados pelo site. Ensine-os a evitar o contato com pessoas estranhas que queiram informações sobre a família ou marcar encontros.
  19. Em caso de roubo ou perda do aparelho celular, informe imediatamente a operadora. Registre a ocorrência na Delegacia Eletrônica - em São Paulo, esse procedimento permite o bloqueio do aparelho que evita o seu uso indevido.
  20. Utilize o recurso de localização remota do seu aparelho celular (ou instale um app com essa finalidade). Assim, caso o perca, encontre-o com essa ferramenta.
Conheça os riscos mais comuns na internet
  • Acesso a conteúdos impróprios ou ofensivos: ao navegar você pode se deparar com páginas que contenham pornografia, que atentem contra a honra ou que incitem o ódio e o racismo.
  • Contato com pessoas mal-intencionadas: existem pessoas que se aproveitam da falsa sensação de anonimato da Internet para aplicar golpes, tentar se passar por outras pessoas e cometer crimes como, por exemplo, estelionato, pornografia infantil e sequestro.
  • Furto de identidade: assim como você pode ter contato direto com impostores, também pode ocorrer de alguém tentar se passar por você e executar ações em seu nome, levando outras pessoas a acreditarem que estão se relacionando com você, e colocando em risco a sua imagem ou reputação.
  • Furto e perda de dados: os dados presentes em seus equipamentos conectados à Internet podem ser furtados e apagados, pela ação de ladrões, atacantes e códigos maliciosos.
  • Invasão de privacidade: a divulgação de informações pessoais pode comprometer a sua privacidade, de seus amigos e familiares e, mesmo que você restrinja o acesso, não há como controlar que elas não serão repassadas. Além disto, os sites costumam ter políticas próprias de privacidade e podem alterá-las sem aviso prévio, tornando público aquilo que antes era privado.
  • Divulgação de boatos: as informações na Internet podem se propagar rapidamente e atingir um grande número de pessoas em curto período de tempo. Enquanto isto pode ser desejável em certos casos, também pode ser usado para a divulgação de informações falsas, que podem gerar pânico e prejudicar pessoas e empresas.
  • Dificuldade de exclusão: aquilo que é divulgado na Internet nem sempre pode ser totalmente excluído ou ter o acesso controlado. Uma opinião dada em um momento de impulso pode ficar acessível por tempo indeterminado e pode, de alguma forma, ser usada contra você e acessada por diferentes pessoas, desde seus familiares até seus chefes.
  • Dificuldade de detectar e expressar sentimentos: quando você se comunica via Internet não há como observar as expressões faciais ou o tom da voz das outras pessoas, assim como elas não podem observar você (a não ser que vocês estejam utilizando webcams e microfones). Isto pode dificultar a percepção do risco, gerar mal-entendido e interpretação dúbia.
  • Dificuldade de manter sigilo: no seu dia a dia é possível ter uma conversa confidencial com alguém e tomar cuidados para que ninguém mais tenha acesso ao que está sendo dito. Na Internet, caso não sejam tomados os devidos cuidados, as informações podem trafegar ou ficar armazenadas de forma que outras pessoas tenham acesso ao conteúdo.
  • Uso excessivo: o uso desmedido da Internet, assim como de outras tecnologias, pode colocar em risco a sua saúde física, diminuir a sua produtividade e afetar a sua vida social ou profissional.
  • Plágio e violação de direitos autorais: a cópia, alteração ou distribuição não autorizada de conteúdos e materiais protegidos pode contrariar a lei de direitos autorais e resultar em problemas jurídicos e em perdas financeiras.

Fonte: Segurança na internet, Cert.br

Mais informações

Para saber mais sobre segurança na internet, sugerimos que consulte os links abaixo:

 

Última atualização: setembro de 2015