Biblioteca Virtual
Envie sua mensagem para a Biblioteca Virtual
Fale Conosco
Conheça a Biblioteca Virtual e saiba o que podemos fazer por você
Quem Somos

São Paulo: GEOGRAFIA DO ESTADO

Tamanho do texto   A A A

Clima

Predomina o clima tropical atlântico, na região central do território paulista, e tropical de altitude, nas regiões mais altas, como na Serra da Mantiqueira e Serra do Mar. A temperatura média anual de 20º a 22º C.

O clima é caracterizado por estações úmidas e secas bem definidas na maior parte do Estado, exceto nas encostas da Serra do Mar, próximo à costa, onde a estação seca é muito curta.

Embora o clima seja basicamente tropical, geadas esporádicas podem ocorrer durante o inverno (junho a agosto) em regiões de baixa altitude do centro-oeste (depressão periférica do Planalto Ocidental) e, regularmente, nas montanhas acima de 1.200m de altitude.

Links Relacionados

Hidrografia

O território do Estado de São Paulo fica localizado, em sua maior parte, na bacia hidrográfica do Paraná.

O Rio Paraná com 2.940 km nasce na junção dos rios Paranaíba e Grande, na divisa de Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e São Paulo. Apresenta o maior aproveitamento hidrelétrico do Brasil, abrigando por exemplo, a Usina de Itaipu.

Os principais rios paulistas são importantes geradoras de energia. Estão instaladas no Rio Tietê as usinas hidrelétricas de Promissão, Ibitinga, Bariri e Barra Bonita; no Rio Paranapanema temos a usina hidrelétrica de Chavantes, Rosana, Três Irmãos e Jurumirim; e no Rio Grande as usinas de Estreito e Camargos, entre outras.

Os rios também representam importante meio de transporte de cargas. A hidrovia Tietê-Paraná conta com 2.400 km de extensão, sendo que 800 km de vias navegáveis estão no Estado de São Paulo.

No lado leste do Estado, encontramos o Rio Paraíba do Sul, a principal fonte de água do Vale do Paraíba e de boa parte do Estado do Rio de Janeiro.

Principais rios do Estado de São Paulo

Links Relacionados

Downloads

Relevo

O território do Estado de São Paulo é formado, basicamente, de uma planície litorânea estreita, limitada pela serra do Mar, e de planaltos e depressões no resto do território.

O relevo do estado de São Paulo é subdividido nas seguintes unidades geomorfológicas:

PROVÍNCIA COSTEIRA - Inclui as baixadas litorâneas, as serras da costa (Serra do Mar, de Paranapiacaba e de Itatins) e os morros da costa e do Vale do Ribeira;

PLANALTO ATLÂNTICO - Abrange a faixa de rochas cristalinas que vai da região sul do Estado (Guapiara) até a região nordeste, na divisa com o Estado de Minas Gerais (Campos do Jordão);

DEPRESSÃO PERIFÉRICA - Compreende a região que se estende desde o Planalto Atlântico para o oeste paulista, pelos vales do Médio Tietê, Paranapanema e Mogi-Guaçu;

CUESTAS BASÁLTICAS - Formadas pelos remanescentes erosivos das camadas de rochas vulcânicas basálticas da Bacia do Paraná, na faixa que vai desde Ituverava e Franca a nordeste, até Botucatu e Avaré a sudoeste;

PLANALTO OCIDENTAL - Inclui os planaltos das regiões de Marília, Catanduva e Monte Alto.

Relevo do Estado de São Paulo

Links Relacionados

Vegetação

O Estado de São Paulo apresenta pequenas regiões de mangues no litoral, trechos preservados de Mata Atlântica na Serra do Mar e floresta tropical no resto do território.

Em comparação às florestas equatoriais, as tropicais possuem menor diversidade de espécies vegetais, árvores de menor porte e, claro, espécies diferentes. As florestas tropicais localizam-se na faixa intertropical litorânea.

A vegetação de São Paulo é muito diversificada, estando presente no Estado, uma boa representação dos biomas do Brasil.

As áreas abertas da região central e do oeste são dominadas pelos cerrados, incluindo os campos sujos (conhecido também como cerrado ralo) até cerradões. No Estado, ainda presenciamos as Florestas Montanas na Serra da Mantiqueira, acima dos 1.500 metros de altitude, e os Campos de Altitude, a mais de 2.000 metros.

Pela posição geográfica do Estado, ocorrem associados elementos de floras tipicamente tropicais e de floras mais características de regiões subtropicais.

Links Relacionados

Aspectos Geopolíticos e Econômicos

Os municípios são agrupados em 15 Regiões Administrativas e 42 Regiões de Governo, estabelecidos através de legislação estadual.

Boa parte de sua população (cerca de 58,6%, segundo dados da EMPLASA) vive nos grandes centros urbanos, sobretudo nas três Regiões Metropolitanas: Baixada Santista, Campinas e São Paulo. Estima-se que 93,6% da população viva em áreas urbanas.

Estão localizados no Estado de São Paulo grandes conglomerados urbanos responsáveis por boa parte da produção industrial e atividade econômica do país

O Estado de São Paulo destaca-se no contexto nacional pela expressiva participação na economia, respondendo por mais de 30% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro. A economia paulista é robusta e diversificada, possuindo o mais amplo parque industrial do país e um mercado de trabalho caracterizado pela qualificação de sua mão-de-obra.

O Estado de São Paulo exportou US$ 38 bilhões em 2005, respondendo por mais de 30% das exportações brasileiras. Cerca de 35% desse valor é gerado por 15 produtos, entre eles aviões, automóveis, açúcar e suco de laranja.

Em São Paulo, grande centro de produção e difusão cultural do país, ocorre, ao longo de todo o ano, programação cultural de nível internacional. É grande ainda a quantidade de salas de cinema e teatro, museus e centros culturais. Muito variados e de qualidade internacional são também diversos de seus restaurantes e bares que abarcam as grandes diferenças étnicas presentes no Estado. Espalhadas por seu território, várias outras grandes cidades paulistas também oferecem um amplo leque de opções culturais e de turismo.

Links Relacionados

Downloads

Transportes

São Paulo possui 35 mil quilômetros de rodovias, dos quais 22 mil são administradas pelo Estado. Segundo a CNT - Confederação Nacional do Transporte, os paulistas contam com a melhor malha rodoviária do país, com 18 das 20 melhores rodovias existentes.

A malha ferroviária possui pouco mais de 5,6 mil quilômetros de extensão, sendo responsável por uma boa parte do transporte de carga da Região Sudeste.

No Estado de São Paulo estão instalados dois dos mais importantes portos marítimos do país: o de Santos e o de São Sebastião. Para ter uma noção da importância dos portos paulistas, em 2007, 25,4% de todo o comércio de produtos importados e exportados do Brasil passaram por Santos.

Apesar do movimento reduzido se comparado aos portos marítimos, os portos fluviais de Panorama e Presidente Epitácio têm importância no deslocamento de cargas de grande volume e baixo valor agregado, em sua maior parte soja em grão e derivados. Vindos dos Estados de Mato Grosso, Goiás e Mato Grasso do Sul, nestes portos pode ser realizada a conexão com a hidrovia Tietê-Paraná ou com as redes rodoviária e ferroviária estaduais.

Com 800 quilômetros de vias navegáveis, o trecho paulista da Hidrovia Tietê-Paraná possui 10 reservatórios, 10 barragens, 23 pontes, 19 estaleiros e 30 terminais intermodais de cargas. Os principais produtos transportados pela hidrovia são farelo de soja e cana. Em 2006, foram desembarcados, no Estado de São Paulo, perto de 2,7 milhões de toneladas de carga, equivalentes a quase 67% da movimentação total da hidrovia.

São Paulo possui 36 aeroportos, 5 administrados pela Infraero (Congonhas, Guarulhos, Campo de Marte, Viracopos e São José dos Campos) e 31 pelo Departamento Aeroviário de São Paulo - Daesp.

Links Relacionados

Downloads

 SÃO PAULO
 BIBLIOTECA VIRTUAL

Não encontrou a informação que procurava?

Envie sua mensagem pelo formulário Fale Conosco e receba a informação que deseja.

Acompanhe as notícias da Biblioteca Virtual pelo Twitter

Biblioteca Virtual do Governo do Estado de São Paulo on Facebook

BIBLIOTECA VIRTUAL DO GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO
Subsecretaria de Comunicação da Casa Civil

Facebook Twitter Google Plus Blog da Biblioteca Virtual YouTube